Lágrimas de chuva
Lágrimas de chuva
R$ 44,00
Autor(es): Roseana Murray Ilustrador(es): Evelyn Kligerman
Tamanho: 21x28cm Páginas: 44 Faixa Etária: A partir de 10/11 anos ISBN: 9786588584040 Categoria: Tema: Prosa poética / tankas

O livro reúne poemas de rara beleza chamados tankas, forma originária da literatura japonesa. Em língua portuguesa, o tanka tem 31 sílabas distribuídas em um terceto (estrofe de três versos) e um dístico (estrofe de dois versos). Em sua forma mais simples, o tanka feito no Brasil é uma adaptação da forma japonesa. Nesta obra a autora preservou o formato e o tom melancólico-contemplativo e, mais uma vez, deixou ver a sua sensibilidade poética com que se notabilizou em nossa literatura.

  • Conversar com a turma sobre a origem do tanka, comentando a apresentação feita por Jiddu Krishnamurti Saldanha nas páginas iniciais.
  • Sugerir a leitura dos poemas feita a partir de vozes masculinas e femininas, alternadas, com um fundo musical condizente com o clima melancólico-contemplativo do tanka. Essa leitura poderia ser divulgada e acessada pelos demais alunos e professores em forma de Podcast.
  • Debater: existe poesia sem rima? Iniciar conversando sobre a questão do ritmo em poesia. Ele supõe tensão e vibração intensa que dão vida às palavras. A poesia sempre terá um ritmo, um jogo sonoro. Orientar uma pesquisa breve sobre a diferença entre versos brancos ou soltos e versos livres. Acessar vídeos na Internet sob o título “Poesia sem rima é poesia?”. Ver também: “Rimas e ritmo na poesia” , disponível em: . Acesso em: 15 de mar. 2021.
  • Comentar: principais diferenças e analogias entre o tanka e o haicai.
  • Propor a criação de perguntas para uma entrevista com as irmãs Roseana Murray e Evelyn Kligerman sobre os ofícios de escrever e de ilustrar que ambas desenvolvem com maestria. Reler suas biografias. Interessante enviá-las por meio da Editora Compor.
  • Produção de texto: escolher um dístico de um tanka e transformá-lo numa quadra, como, por exemplo, o da p. 19, produzindo assim uma... “tanquadra”. Se a turma quiser, compor um livro coletivo com os novos poemas, ou então, mesclar as formas: “tanquadras” e tankas.
  • As árvores se debruçam
  • dentro das canções do vento.
  • Passarinhos também ouvem
  • segredos e pensamentos...